Economia & Energia
Ano XIV-No 77
Abril
/Junho de 2010
ISSN 1518-2932

e&e  OSCIP

setae.gif (977 bytes)e&e in English

BUSCA

CORREIO

DADOS ECONÔMICOS

DOWNLOAD

OUTROS NÚMEROS

e&e  No 77

Apoio:


 

Página Principal

Workshop sobre a Produtividade de Capital no Brasil

Um Programa para a Produtividade de Capital no Brasil

Indicadores de Produtividade de Capital na Agropecuária Brasileira

Uma nota sobre a produtividade de capital a partir dos censos agropecuários brasileiros

 

http://ecen.com
Vínculos e&e

Veja também nosso suplemento literário

http://ecen.com/
jornalego

 

 

 

A Organização Economia e Energia - e&e  OSCIP 

Workshop:

Workshop sobre a Produtividade de Capital no Brasil
Rio de Janeiro 13 de Dezembro 2010 - Auditório do BNDES

O workshop discute a questão da produtividade de capital no Brasil. Serão apresentados os resultados do termo de parceria e&e  MCT entre os quais os apresentados nas revistas e&e No 77 e 78.

Nº 77: Abril/Junho de 2010  

ISSN 1518-2932           

Versão em Inglês disponível em: http://ecen.com

Revista e&e 77 versão em PDF 

eee77p
_________________________________________________________

Editorial:

Um Programa para a Produtividade de Capital no Brasil

 

 Artigos:

Indicadores de Produtividade de Capital na Agropecuária Brasileira

Cláudio David Dimande

Carlos Feu Alvim

Os censos agropecuários, por sua complexidade e custo, são realizados em intervalos aproximados de cinco anos, o que dificulta análises completas e rápidas sobre a evolução da produtividade para propiciar medidas corretivas. Foram feitos cálculos preliminares da produtividade de capital no setor agropecuário brasileiro utilizando dois indicadores: frota de tratores/ produto agropecuário (1980/2007) e produção de carne/rebanho bovino (1994/2009).

O primeiro indicador mostra que a produtividade de capital permaneceu constante por aproximadamente 10 anos consecutivos (1980-1990) quando então passou a crescer e mais do que dobrou até 2007 . No segundo indicador, a produtividade de capital cresceu 41% no período 1995 a 2008 e 17% de 2000 a 2008 (médias trianuais).

Um terceiro indicador, diferenciado dos anteriores por estar relacionado a um recurso natural (a terra), também foi avaliado e é definido como o produto agrícola por ha plantado. Esse indicador apresenta uma particularidade interessante: enquanto a produtividade física mais que dobrou, a remuneração por hectare permaneceu oscilando em torno de um valor constante em virtude da queda dos preços agrícolas relativa ao conjunto da economia. Isto significa que o Brasil mais que dobrou a produtividade desse fator de capital (terra plantada), mas a remuneração do produtor por ha permaneceu aproximadamente constante.

A conclusão dos autores é que foi possível compensar a queda nos preços agrícolas com o aumento de produtividade, mantendo o valor agregado por ha, e está muito provavelmente relacionada com a grande competitividade atual da agricultura brasileira no mundo. As causas desse sucesso só podem ser apuradas com uma análise aprofundada do setor, mas certamente inclui o desenvolvimento tecnológico, como assinalou o artigo do The Economist (26/08/2010), que atribuiu à Embrapa a maior parte do mérito.

 

Uma nota sobre a Produtividade de Capital
a partir dos censos Agropecuários Brasileiros

Carlos Feu Alvim

Claudio David Dimande

São  feitas aproximações de produtividade de capital utilizando dados dos Censos Agropecuários do IBGE substituindo o valor agregado, que não está disponível nos Censos, pelo produto da agropecuária. O comportamento da produtividade de capital ao longo do tempo não apresenta tendência para crescimento ou decréscimo a valores correntes.

 

Graphic Edition/Edição Gráfica:
MAK
Editoração Eletrônic
a

Revised/Revisado:
Wednesday, 23 May 2012
.

Contador de visitas