Economia & Energia
Ano XI-No 65
Dezembro 2007 -
Janeiro 2008
ISSN 1518-2932

 

 

BUSCA

CORREIO

DADOS ECONÔMICOS

DOWNLOAD

OUTROS NÚMEROS

e&e  No 65

Apoio:


 

Página Principal

Produtividade de Capital e  Crescimento

Estoque de Capital no Brasil e Produtividade de Capital no Brasil

Concentração do Metano na Atmosfera

Custos para Termelétricas Vencedoras do Leilão de  16/10/07 e  Custos Previstos para Angra 3

Download:

bal_eec

Arquivo zipado do Balanço de Carbono gerando programa Excel com macros em Visual Basic que tem que ser ativadas para que o programa funcione

 

e&e por autor
e&e por assunto

http://ecen.com
Vínculos e&e

Veja também nosso suplemento literário

http://ecen.com/
jornalego

 

 

 

Texto para Discussão:

Análise Comparativa entre os Custos

 Correspondentes às Usinas Termelétricas

Vencedoras do Leilão de Energia Nova  Realizado

em 16/10/07 e os Custos Previstos

para a Usina Nuclear Angra 3

 

Sérgio Gonçalves Mathias e
Angelo Gustavo Correia Lima
[1]

1 - Objetivo

O objetivo deste trabalho é fazer uma análise comparativa entre os custos, para o Sistema Elétrico, correspondentes às usinas termelétricas vencedoras do leilão de energia nova de (A-5) realizado em 16/10/07 e os custos previstos para a usina nuclear Angra 3.

2 - Custos de Usinas Termelétricas

São considerados os custos associados à contratação e à produção de energia elétrica pelas usinas térmicas que participam dos leilões de energia nova promovidos pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE, sob delegação da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL, para o atendimento da demanda de energia elétrica previsto pelas Distribuidoras integrantes do Sistema Interligado Nacional - SIN.

A contratação de energia elétrica pelas usinas termelétricas é realizada por meio de contratos de disponibilidade de energia elétrica, nos quais os custos associados aos riscos hidrológicos, que determinam os níveis de despacho das usinas, são integralmente assumidos pelos agentes compradores (as Distribuidoras integrantes do SIN). Desta forma, os custos de compra de combustível e os custos decorrentes de eventuais exposições financeiras no mercado de curto prazo da CCEE são assumidos pelas Distribuidoras e repassados aos consumidores finais.

Para esta comparação, foram considerados os custos correspondentes à receita fixa anual (cujo valor constitui o preço ofertado pelo empreendedor durante os leilões de energia nova) e o custo variável de operação e manutenção (no qual se inclui o custo do combustível).

Os eventuais custos correspondentes a exposições financeiras no mercado de curto prazo da CCEE não foram considerados nesta comparação, dada a dificuldade de previsão dos valores do Preço de Liquidação de Diferenças - PLD e o fato de que esse Preço é igualmente aplicável aos desvios de suprimento de todas as usinas termelétricas.

O custo, para o Sistema Elétrico, de contratação e de produção de energia elétrica das usinas termelétricas, por unidade de energia (R$ / MWh), é, portanto, determinado da seguinte forma: 

CT =   (1), onde:

 

CT = Custo total por energia contratada (R$ / MWh)

RF = Receita fixa anual (R$ / ano)

CVU = Custo Variável Unitário (R$ / MWh)

EC = Energia contratada (MWh / ano)

EG = Energia gerada (MWh / ano)

PLD = Preço de Liquidação de Diferenças (R$ / MWh)

De acordo com as regras aplicáveis aos leilões, o custo do combustível necessário para a geração da usina no seu nível de inflexibilidade declarada, quando aplicável, deve ser incluído na receita fixa anual proposta pela empresa participante do leilão, sendo o custo variável de geração aplicável somente à parcela variável de geração acima do nível de inflexibilidade declarado.

3 - Custos de Angra 3

São os seguintes os dados estimados pela ELETRONUCLEAR relativos à comercialização da energia de Angra 3:

Potência nominal: 1435 MW (considerado um acréscimo com relação à potência original de projeto de 1.350 MW)

Consumo interno: 75 MW

Redução de disponibilidade com paradas para reabastecimento de combustível e manutenção: 160 MWmédios

Energia contratada: 1200 MWmédios

Tarifa prevista: 140 R$ / MWh

Custo do combustível: 22 R$ / MWh (já incluído na tarifa)

Receita anual correspondente à energia contratada:
R$ 1.471.680.000,00 / ano

Observe-se que o custo do combustível de Angra 3 já está considerado na tarifa, não sendo, portanto, um custo adicional para o Sistema Elétrico, como é o caso dos contratos de disponibilidade de energia resultantes dos leilões de energia nova aplicáveis às usinas termelétricas.

4 - Resultados do Leilão de Energia Nova
Realizado em 16/10/07

A Tabela I apresenta os resultados do leilão de energia nova de (A - 5) realizado em 16/10/07.

Os valores de Custo Variável de Geração das usinas termelétricas participantes do leilão não foram divulgados pela EPE. Para esta análise, foram considerados os valores médios desses custos constantes dos arquivos do programa NEWAVE utilizados no Plano Decenal de Expansão 2007 - 2016 da EPE, para cada tipo de combustível (gás, óleo combustível e carvão) das usinas vencedoras do leilão. Tais valores estão indicados na Tabela II.

Tabela II - Valores médios dos custos de combustível das usinas termelétricas vencedoras do leilão de (A-5) realizado em 16/10/07

           Fonte: Plano Decenal de Expansão 2007 - 2016 da EPE

5 - Comparação de Custos:

A Figura I mostra:

a)       os valores correspondentes aos custos das usinas termelétricas vencedoras do leilão de energia nova realizado em 16/10/07, em função do "Fator de Utilização" (Fu), aqui definido como a relação entre os montantes e energia gerada e de energia contratada para cada usina, isto é:

      Fu = ,

onde EG e EC estão indicados na fórmula
(1) apresentada no item 2;

b)       os valores correspondentes aos custos de Angra 3, também em função do Fator de Utilização.

Observe-se que os custos de Angra 3 independem do custo de combustível, uma vez que este custo já está inserido na tarifa prevista de Angra 3, conforme já explicado no item 3 anterior. Portanto, a curva correspondente aos custos de Angra 3 corresponde a um segmento de reta paralela ao eixo horizontal.

Figura I: Comparação entre os custos de Angra 3 e os custos de usinas térmicas vencedoras do leilão de (A-5) realizado em 16/10/2007,
em função do Fator de Utilização

6 - Conclusão:

A Figura I do item 5 anterior indica que os custos de Angra 3 são inferiores aos das usinas termelétricas vencedoras do leilão de energia nova realizado em 16/10/07, para Fatores de Utilização superiores aos valores indicados a seguir:

a)       19%, para as usinas a óleo combustível;

b)       71%, para as usinas a carvão; e

c)       76%, para as usinas a gás.

 

[1] Assessoria de Comercialização da ELETRONUCLEAR

 

Graphic Edition/Edição Gráfica:
MAK
Editoração Eletrônic
a

Revised/Revisado:
Tuesday, 21 July 2009
.

Contador de visitas