Economia & Energia
Ano XI-No 61
Abril-Maio 2007
ISSN 1518-2932

Patrocínios:

BUSCA

CORREIO

DADOS ECONÔMICOS

DOWNLOAD

OUTROS NÚMEROS

e&e  No 61

Apoio:

 

Página Principal

Texto para Discussão:

Co-processar, Incinerar, Aterrar ou Pirolisar? Caso estudo: Resíduos PP, ABS, Borra Tinta

Opinião:

A Desregulamentação da Eletricidade Chegou ao seu Limite?

Resumo de Tese:

Liberalização, Importação e Crescimento Econômico na América Latina 

Resultados de Estudo e&e OSCIP:

Avaliação de Emissões que Contribuem para o Efeito Estufa pelo Processo Bottom-Up por Coeficientes

 

e&e por autor
e&e por assunto

http://ecen.com
Vínculos e&e

Veja também nosso suplemento literário

http://ecen.com/
jornalego

 

Resultados de Estudo e&e OSCIP:

 Avaliação de Emissões de Compostos de Carbono pelo Processo Bottom-Up por Coeficientes

Carlos Feu Alvim feu@ecen.com

Frida Eidelman

Olga Mafra

Omar Campos Ferreira

Rafael Macêdo

1. Introdução

Este trabalho faz parte do levantamento de dados para a revisão do Balanço de Carbono objeto do Termo de Parceria 13.0020.00/2005) firmado entre a Organização Social Economia e Energia – e&e – OSCIP e o Ministério da Ciência e Tecnologia – MCT. Seu conteúdo está especificamente relacionado com a Meta 2 - Estimativa de Emissões de Gases que Contribuem para o Efeito Estufa no Uso e Transformação de Energia de 1970-2004 pelo Processo “Bottom-Up por Coeficientes”.

2. Antecedentes

Para a Declaração Nacional Inicial do Brasil à Convenção Quadro das Nações Unidas Sobre as Mudanças do Clima (MCT Novembro de 2004), a Coordenação Geral de Mudança Global do Clima, do Ministério da Ciência e Tecnologia – CGMGC/MCT, consolidou o inventário das emissões que contribuem para a formação do efeito estufa. Os dados do inventário foram fornecidos a e&e[1] na forma de coeficientes emissão/energia que permitem obter, a partir dos dados do Balanço Energético Nacional – BEN/MME, as emissões dos diferentes gases, em massa de cada um deles. Os valores foram calculados a partir de trabalho de referência da COPPE consolidado pela CGMGC/MCT para o período do inventário da referida Declaração Inicial (1990 a 1994) e depois estendidos até 1999. Baseados nestes valores, a e&e - dentro do Convênio (No 01.0065.00-2003) que visava elaborar o balanço de carbono na Matriz Energética Brasileira - confrontou estes dados com os obtidos através da Aplicação da MetodologiaTop-Down Estendida” - TDE publicada na Revista e&e No 58

A Metodologia Top-Down recomendada pelo IPCC (Intergovernmental Panel on Climate Change), no caso das emissões energéticas, apura a massa de carbono contida nos combustíveis que entram (produção + importação) e saem (exportação) do sistema econômico do país em causa. Ela estabelece uma primeira avaliação da massa de Carbono (convertida em CO2) que é incorporada na atmosfera mundial em virtude das atividades em questão. São descontadas deste total as quantidades de carbono não oxidadas e as quantidades retidas nos usos não energéticos. A Metodologia TDE estende esta aproximação às etapas de transformação e consumo de maneira que se dispõe, para cada setor, da quantidade de carbono que “entra” neste setor sob a forma de fontes de energia conforme contabilidade usual dos balanços energéticos nacionais.

Na avaliação do tipo Bottom-Up, aplicada às atividades energéticas, são apuradas as emissões por tipo de gás ligado ao efeito estufa, por energético e por tipo de uso em cada Setor ou “Conta” do BEN. Em convênio anterior (№01.0065.00/2003) foi verificado que a massa de carbono contida nos gases CO2, CO, CH4 e NMVOCs (outros voláteis não metano contendo carbono) emitidos apresentava incoerências com os dados apurados no processo TDE. Parte desta discrepância resulta de que a massa de CO2 considerada emitida, nas apurações via Top-Down, supõe que os demais componentes serão convertidos com o tempo em CO2 como tende a acontecer com o tempo na natureza. Ao ser adotada esta mesma aproximação na abordagem Bottom-Up passa existir dupla contagem com o carbono de outros compostos.

Neste trabalho usou-se um conjunto coerente de coeficientes de emissão cuja aplicação iguala massa total de carbono contida nos gases emitidos à massa “de entrada”, feitas as correções de retenção, não oxidação e, em alguns casos, de emissão de rejeitos.

Esses coeficientes, para os anos de 1990 a 1999, foram usados, como primeira aproximação, para estimar as emissões entre 1970 e 2005. Os coeficientes utilizados foram;

·        Para anos anteriores a 1990 foram usados os coeficientes correspondentes a este ano;

·        Para os anos 1990 a 1999 os correspondentes a cada um deles,

·        Para anos posteriores a 1999 os coeficientes deste último ano.

Pelo mesmo critério de anos de referência foram estimadas as emissões de NOx e N2O que não contêm carbono.

3. Metodologia

Os gases emitidos que contêm carbono têm, com exceção dos NMVOCs, relação bem conhecida entre a massa de carbono e a massa total, que são as seguintes:

CO2  c1 = 12/44

CO    c2 =12/28

CH4  c3 = 12/16

Para os NMVOCs foi suposta uma fração de massa de carbono (c4=0,85) baseada na média para emissões na indústria.

Se m1, m2, m3 e m4 forem as massas destes gases emitidos tem-se da conservação da massa de carbono que:

m1.c1 + m2.c2 + m3.c3 + m4.c4 = MC.(1-fnox-fret)

onde MC é a massa de carbono do combustível usado no setor, fnox a fração não oxidada e fret a fração retida.

As frações de combustível não oxidado adotadas na Declaração Inicial são, de maneira geral, as recomendadas pelo IPCC, observadas algumas particularidades brasileiras relacionadas, na maioria dos casos, ao uso da biomassa. De modo geral ela é de 1% para os líquidos e 0,5% para os gases. As frações não oxidadas e retidas estão mostradas na Tabela 3.1. O fator de retenção foi suposto igual a 1 (100% de retenção) nos casos em que não se tem o seu valor em apurações anteriores, para que sejam detectados eventuais usos não energéticos em anos anteriores e posteriores aos do inventário.[2]  Note-se que a fração não oxidada referida anteriormente é fnox=1-fox.

Tabela 3.1: Fatores de Oxidação, de Retenção e de Rejeitos

 

Fator
Oxidação

Fator de
 Retenção

Fator de
 Rejeitos

 

Consumo Energético ou
 Transformação

Consumo
Não Energético

Produção de
Carvão Vegetal
e Álcool

PETRÓLEO                      

0,99

1

 

GÁS NATURAL ÚMIDO            

0,995

0,33

 

GÁS NATURAL SECO             

0,995

0,33

 

CARVÃO VAPOR 3100 KCAL/KG    

0,98

1

 

CARVÃO VAPOR 3300 KCAL/KG    

0,98

1

 

CARVÃO VAPOR 3700 KCAL/KG    

0,98

1

 

CARVÃO VAPOR 4200 KCAL/KG     

0,98

1

 

CARVÃO VAPOR 4500 KCAL/KG    

0,98

1

 

CARVÃO VAPOR 4700 KCAL/KG    

0,98

1

 

CARVÃO VAPOR 5200 KCAL/KG    

0,98

1

 

CARVÃO VAPOR 5900 KCAL/KG    

0,98

1

 

CARVÃO VAPOR 6000 KCAL/KG    

0,98

1

 

CARVÃO VAPOR SEM ESPECIFICAÇÃO

0,98

1

 

CARVÃO METALÚRGICO NACIONAL  

0,98

1

 

CARVÃO METALÚRGICO IMPORTADO 

0,98

1

 

OUTRAS FONTES PRIM. NÃO RENOV.

0,99

1

 

LENHA                        

0,87
 (0,89 em carvoarias)

1

 

CALDO DE CANA                

0,99

1

 

MELAÇO                       

0,99

1

 

BAGAÇO DE CANA               

0,88

1

 

LIXÍVIA                      

0,99

1

 

OUTRAS RECUPERAÇÕES          

0,99

1

 

ÓLEO DIESEL                  

0,99

1

 

ÓLEO COMBUSTÍVEL             

0,99

1

 

GASOLINA AUTOMOTIVA          

0,99

1

 

GASOLINA DE AVIAÇÃO          

0,99

1

 

GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO   

0,99

1

 

NAFTA                        

0,99

0,8

 

QUEROSENE ILUMINANTE         

0,99

1

 

QUEROSENE DE AVIAÇÃO         

0,99

1

 

GÁS DE COQUERIA              

0,99

1

 

GÁS CANALIZADO RIO DE JANEIRO

0,99

1

 

GÁS CANALIZADO SÃO PAULO     

0,99

1

 

COQUE DE CARVÃO MINERAL      

0,99

1

 

CARVÃO VEGETAL               

0,99

1

0,3

ÁLCOOL ETÍLICO ANIDRO        

0,99

1

0.71

ÁLCOOL ETÍLICO HIDRATADO     

0,99

1

0.71

GÁS DE REFINARIA             

0,99

1

 

COQUE DE PETRÓLEO            

0,99

1

 

OUTROS ENERGÉTICOS DE PETRÓLEO

0,99

1

 

OUTRAS SECUNDÁRIAS - ALCATRÃO

0,99

0,75

 

ASFALTOS                     

0,99

1

 

LUBRIFICANTES                

0,99

0,5

 

SOLVENTES                    

0,99

1

 

OUTROS NÃO ENERG.DE PETRÓLEO 

0,99

1

 

           Tanto para esses coeficientes como para os de emissão de gases, os valores disponíveis para um agregado foram adotados para seus componentes. Assim o mesmo fator de oxidação foi usado para os diversos tipos de carvão vapor. Estes coeficientes deveriam, em um tratamento futuro, serem objeto de estudos específicos. Com efeito é de se esperar, no caso do carvão vapor, que uma maior quantidade de cinzas em carvões com menor poder calorífico resultem da queima menos completa esperada, reduzindo, portanto, a oxidação.

Os coeficientes de emissão de gases fornecidos pela CGMGC/MCT foram referidos aos dados dos balanços energéticos disponíveis da época do inventário que ainda usavam o conceito de PCS (poder calorífico superior) e a tonelada equivalente de petróleo (tep= 10800 Mcal) antigo na denominação adotada neste trabalho e nos programas auxiliares de cálculo. A massa do gás emitido era calculada multiplicando-se o coeficiente de emissão fornecido para o energético e o gás emitido pela quantidade de energia expressa em tep.

O procedimento e as modificações adotadas ficam mais claros tomando-se, como exemplo, as emissões de CO (monóxido de carbono) no diesel usado no transporte rodoviário no ano de 2005. Os fatores de emissão usados para este ano foram os do último ano em que o MCT forneceu os valores (1999).

·        O volume de diesel consumido foi de 30.428 mil m3 ou de 25.323 mil tep antigo, o coeficiente de emissão de CO é de 0,0430 t de CO por tep antigo ou 1088 mil t de CO que contêm 466 mil t de carbono (1088*12/28);

·        Este mesmo volume de diesel, expresso em tep (novo) é de 25.803 mil tep ou de 1080 mil TJ que multiplicados pelo fator 20,2 tC/TJ equivalem a uma massa de 21.824 mil t de carbono contida no diesel;

·        Ou seja, 466/21.824 = 2,14% do carbono contido no diesel para transporte rodoviário é emitido sob a forma de CO.

O fator de emissão de rejeitos significa que para cada átomo de carbono contido no álcool é produzido 0,71 átomo de CO2 de fermentação e carbono residual contido no vinhoto. Em uma primeira aproximação, foi suposto, neste trabalho que este carbono apareceria na forma de CO2 na atmosfera. Esta hipótese é verdadeira no caso do CO2 de fermentação, mas deve ser menos válida para o vinhoto em que parte deve se decompor na forma de CH4.

No caso das carvoarias existe a formação do pirolenhoso e do alcatrão de madeira. Na falta de estudos sobre o tema, considerou-se a emissão resultante destes compostos a partir do conjunto de coeficientes fornecidos pela CGMGC/MCT não tendo sido usadas, nas emissões, as informações sobre a formação de resíduos.

O cálculo mostrado na Tabela 3.2 ilustra a maneira aqui utilizada de expressar os coeficientes de emissão como percentual do carbono contido. Como o objetivo do trabalho é chegar a um balanço de carbono equilibrado, a adoção de coeficientes de emissão para cada combustível, em percentuais de carbono contido no combustível e que leve ainda em conta as frações não oxidada ou retida, faz com que a massa emitida seja automaticamente igual à que é usada no setor (apurada com a metodologia TDE).

Tabela 3.2: Exemplo da Aplicação do Coeficiente Fracionário para Apuração de Emissões de CO Provenientes do Uso do Diesel no Transporte Rodoviário para o Ano de 2005

Cálculo

Especificação

Quantidade

Unidade

Observação

a

Unidades Naturais

30429

mil m3

 

b

Fator conversão tep antigo

0,8322

tep ant/m3

 

c=a*b

Energia

25323

mil tep antigo

 

c

Fator emis CO

0,0430

tCO/tep ant

 

d=b*c

Emissões CO

1088

mil t

Gg

e

Fator conversão tep

0,8480

tep/m3

 

f=a*e

Energia

25804

mil tep

 

g

Fator de conversão tep em TJ

0,0419

TJ/tep

 

h

Energia

1080

mil TJ

 

i

Massa Carbono por energia

20,2

tC/TJ

PCI

j

Massa de Carbono do
Combustível

21824

mil t

Gg

k

Fração de Carbono no CO
 =12/28

0,4286

 

 

l=k*d

Massa de Carbono no CO

466

mil t

Gg

m=l/j

Fração da massa de C
 emitida como CO

2,14%

C no CO/
C no diesel

 

Para alcançar um conjunto coerente de fatores de emissão relativos ao carbono contido no combustível, os fatores inicialmente disponíveis (em t de gás emitido por tep antigo) foram transformados mediante renormalização usando os coeficientes originais.

O procedimento foi o de calcular o percentual de carbono contido com auxílio do programa bal_eec. A renormalização foi feita alterando-se o percentual de CO2. Com objetivo de verificar eventuais incoerências e omissões nos fatores de emissão, foram examinados os coeficientes para todos os anos de todos os combustíveis e “contas”. Em alguns casos, os coeficientes não estavam disponíveis para todos as “contas” embora fosse registrado o uso do combustível no setor correspondente. Neste caso usou-se o valor médio para os setores do mesmo grupo (e.g.: industrial) ou os valores de uma atividade similar (e.g.: transporte ferroviário e marítimo).

A Tabela 3.3 mostra como foi feita a renormalização. Este exemplo é para o mesmo caso da tabela anterior.

Tabela 3.3 Renormalização de Fatores em % de Carbono para o Diesel no Setor Rodoviário

 

CO2

CH4

CO

NMVOCS

Fnox

Fret

Total

CO2
Corri--
gido

RODOVIÁRIO

99,748

0,019

2,138

0,848

1,000

0,000

103,753

95,996

RODOVIÁRIO
Renormalizado

95,996

0,019

2,138

0,848

1,000

0,000

100,000

 

No exemplo mostrado, o percentual de carbono emitido e retido seria superior a 100% sendo a correção feita no percentual de CO2. Os mesmos percentuais foram utilizados para o uso do diesel nos setores ferroviário e hidroviário.

4. Resultados Emissões de Carbono e de seus Compostos

O programa bal_eec, elaborado a partir do ben_eec, sofreu modificações a fim de permitir apurar, além dos balanços energético, de energia equivalente e de carbono, as emissões, por energético e por conta, dos gases formadores do efeito estufa CO2, CH4, NMVOCs, CO, NOx e N2O. A descrição do programa será feita proximamente nesta revista. A soma do carbono contido nestes gases fornece o total de carbono enviado à atmosfera.

Nas Tabelas 4.1, 4.2, 4.3, 4.4, e 4.5 mostram-se, para anos escolhidos de 1970 a 2005, as emissões por combustível de Carbono (total) de CO2, CH4, CO e NMVOCs respectivamente.

Tabela 4.1 Emissões  de carbono por Combustíve, Período 1970/2005, em Gg/ano

 

1970

1975

1980

1985

1990

1994

1995

2000

2005

GAS NATU RAL

615

460

878

2301

2537

2999

3163

6542

12423

CARVAO VAPOR

617

610

1291

2657

2068

2070

2077

2817

2360

CARVAO MET.

0

0

0

0

0

277

653

2634

3363

OUTRAS NAO REN.

44

39

95

178

287

259

258

679

833

OLEO DIESEL

4675

8608

13451

14650

18009

20482

21887

25955

28691

OLEO COMBUST.

6629

11906

15073

8255

9105

9931

10477

10119

6357

GASOLINA    

5834

8827

6940

4777

5863

7274

8699

10432

10681

GLP

974

1436

2169

2926

4054

4364

4621

5590

5076

NAFTA      

1

205

284

673

830

1031

1020

1359

1218

QUEROS. ILUM.

403

395

356

223

155

98

82

45

20

QUEROS. AVIACAO

513

1008

1343

1456

1550

1653

1929

2524

2063

GAS DE REFIN.

175

854

884

1301

1410

1670

1595

2143

2828

COQUE  PETROLEO

0

0

0

435

445

618

737

3780

4353

OUT.EN. PETROLEO

38

81

709

461

546

704

881

1804

1768

GAS CIDADE

99

130

171

219

211

106

90

64

0

ASFALTOS

0

0

0

0

0

0

0

0

0

LUBRIFICANTES

0

0

0

310

292

268

282

344

358

SOLVENTES    

0

0

0

0

0

0

0

0

0

OUT.NAO   EN.PET.

0

0

0

0

0

0

0

0

0

COQUE CARV.MIN

1445

1959

3908

6040

6274

8221

8322

7953

7847

GAS DE COQUERIA

170

226

402

692

736

813

821

769

790

OUT.SEC.  ALCATRAO

30

41

94

119

182

254

243

145

97

NÃO RENOVÁVEIS

22262

36786

48049

47672

54553

63090

67838

85700

91126

LENHA    

-6841

-9095

-9789

-12062

-11333

-9782

-9062

-8591

-10988

CALDO DE CANA

-68

-63

-1498

-5166

-5009

-4970

-4795

-3728

-5109

MELACO

-235

-218

-410

-695

-675

-884

-988

-1109

-1939

OUTRAS

-1

-3

-36

-78

-66

-72

-61

-31

-115

BAGACO DE CANA

-394

-467

-853

-1471

-1417

-1825

-1807

-1716

-2756

LIXIVIA

-1

-3

-7

-9

-11

-18

-18

-24

-36

OUTRAS RECUPER.

0

0

-29

-69

-55

-53

-43

-7

-80

CARVAO  VEGETAL

1970

4115

5292

7659

7604

6607

6089

5964

7741

ALCOOL ETILICO

77

67

1107

3299

4561

5175

5351

4534

5424

REJEITO RENOVÁVEL

181

168

1076

3334

3290

3599

3668

3122

4678

RENOVÁVEIS

-5314

-5499

-5148

-5259

-3113

-2222

-1666

-1587

-3179

TOTAL

16948

31288

42901

42412

51440

60868

66172

84113

87947

Tabela 4.2: Emissões de CO2 por Combustível,  Período 1970/2005 em Gg/ano

 

1970

1975

1980

1985

1990

1994

1995

2000

2005

GAS NATU RAL

2254

1686

3216

8428

9291

10982

11581

23945

45431

CARVAO VAPOR

2261

2147

4654

9655

7571

7580

7607

10321

8649

CARVAO MET.

0

0

0

0

0

1014

2391

9642

12309

OUTRAS NAO REN.

160

141

344

642

1037

938

935

2464

3016

OLEO DIESEL

16707

30768

48097

52422

64405

73283

78317

92831

102607

OLEO COMBUST.

24241

43485

55108

30078

33274

36294

38298

37000

23206

GASOLINA    

12082

18272

14370

9893

12136

19554

23388

28049

28723

GLP

3570

5264

7948

10722

14854

15992

16934

20483

18598

NAFTA      

4

596

939

2467

3044

3780

3739

4983

4467

QUEROS. ILUM.

1477

1445

1303

816

567

359

302

166

74

QUEROS. AVIACAO

1871

3680

4904

5313

5657

6033

7040

9212

7531

GAS DE REFIN.

501

2416

3143

3746

4343

5870

5466

7839

10355

COQUE  PETROLEO

0

0

0

1595

1540

2175

2524

13765

15951

OUT.EN. PETROLEO

138

298

2599

1690

2003

2581

3230

6613

6480

GAS CIDADE

364

477

628

803

773

389

329

236

0

ASFALTOS

0

0

0

0

0

0

0

0

0

 LUBRIFICANTES

0

0

0

1135

1070

981

1034

1261

1313

SOLVENTES    

0

0

0

0

0

0

0

0

0

OUT.NAO   EN.PET.

0

0

0

0

0

0

0

0

0

COQUE CARV.MIN

5279

7155

14276

22065

22918

30033

30403

29054

28656

GAS DE COQUERIA

511

764

1390

2471

2608

2877

2931

2785

2890

OUT.SEC.  ALCATRAO

112

151

346

436

667

928

882

532

354

NÃO RENOVÁVEIS

71532

118747

163265

164377

187757

221643

237333

301182

320608

LENHA    

-43715

-51584

-51947

-58114

-52716

-45425

-42071

-40429

-51529

CALDO DE CANA

-251

-233

-5494

-18943

-18368

-18222

-17582

-13668

-18734

MELACO

-863

-801

-1505

-2548

-2474

-3240

-3623

-4068

-7108

OUTRAS REN.

-7

-12

-140

-325

-289

-306

-268

-169

-506

BAGACO DE CANA

-1853

-2199

-4014

-6918

-6663

-8582

-8498

-8069

-12962

LIXIVIA

-6

-12

-32

-42

-49

-79

-76

-104

-153

OUTRAS RECUP. REN.

-1

-1

-107

-283

-239

-228

-192

-65

-353

CARVAO  VEGETAL

6636

13926

17912

25997

25856

22473

20720

20297

26348

ALCOOL ETILICO

231

203

3344

9961

13771

16005

16550

14022

16776

REJEITO RENOVÁVEL

664

616

3944

12223

12062

13197

13450

11447

17153

RENOVÁVEIS

-39164

-40096

-38040

-38989

-29108

-24406

-21591

-20806

-31069

TOTAL

32368

78651

125225

125388

158649

197237

215742

280376

289540

 Tabela 4.3: Emissões Totais de CH4 por Combustível para Anos Escolhidos entre 1970 e 2005 em Gg/ano  

 

1970

1975

1980

1985

1990

1994

1995

2000

2005

GAS NATU RAL

0,0

0,0

0,0

0,1

0,1

0,2

0,3

1,0

4,7

CARVÃO MINERAL

0,0

0,0

0,1

0,1

0,1

0,1

0,1

0,1

0,1

OUTRAS NAO REN.

0,0

0,0

0,0

0,1

0,2

0,1

0,1

0,2

0,3

OLEO DIESEL

1,2

2,3

3,7

4,2

5,1

5,8

6,2

7,3

8,0

OLEO COMBUST.

0,6

1,2

1,4

0,9

0,9

0,9

1,0

0,9

0,6

GASOLINA    

5,0

7,6

6,0

4,1

5,1

3,9

4,6

5,6

5,7

GLP

0,1

0,1

0,1

0,2

0,3

0,3

0,3

0,4

0,3

NAFTA      

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

QUEROS. ILUM.

0,2

0,2

0,1

0,1

0,1

0,0

0,0

0,0

0,0

QUEROS. AVIACAO

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,1

0,1

0,1

GAS DE REFIN.

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,1

0,1

0,1

0,1

COQUE  PETROLEO

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,1

0,2

OUT.EN. PETROLEO

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,1

0,1

GAS CIDADE

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

COQUE CARV.MIN

0,0

0,1

0,1

0,2

0,2

0,3

0,3

0,3

0,3

GAS DE COQUERIA

0,0

0,0

0,0

0,1

0,1

0,1

0,1

0,1

0,1

OUT.SEC.  ALCATRAO

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

NÃO RENOVÁVEIS

7,2

11,6

11,9

10,3

12,2

12,0

13,2

16,2

20,5

LENHA    

241,2

269,8

260,6

264,9

235,3

201,4

185,7

179,5

230,6

BAGACO DE CANA

4,1

4,9

8,9

15,3

14,7

19,0

18,8

17,8

28,7

LIXIVIA

0,0

0,0

0,1

0,1

0,1

0,1

0,1

0,2

0,3

OUTRAS RECUPER.

0,0

0,0

0,0

0,2

0,2

0,2

0,2

0,2

0,4

CARVAO  VEGETAL

13,3

27,8

35,8

51,8

51,4

44,6

41,2

40,3

52,3

ALCOOL ETILICO

0,0

0,0

0,4

1,2

1,7

1,8

1,9

1,6

1,9

RENOVÁVEIS

258,7

302,5

305,8

333,5

303,5

267,1

247,9

239,7

314,1

TOTAL

265,9

322,8

328,8

359,4

331,3

292,7

273,6

267,9

350,5

Tabela 4.4: Emissões Totais de CO por Combustível para Anos Escolhidos entre 1970 e 2005 em Gg/ano  

 

1970

1975

1980

1985

1990

1994

1995

2000

2005

GAS NATU RAL

0,2

0,8

1,4

3,8

5,8

7,8

8,7

21,5

61,6

CARVAO VAPOR

0,7

0,7

2,2

6,0

4,2

3,8

3,2

2,8

2,4

CARVAO MET.

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,9

1,2

6,7

9,4

OUTRAS NAO REN.

1,2

1,1

2,7

6,2

9,4

6,8

6,6

15,2

22,1

OLEO DIESEL

197,8

360,4

554,4

586,0

737,9

822,6

877,6

1061,6

1177,6

OLEO COMBUST.

31,0

79,2

76,3

87,1

51,6

55,8

55,7

47,2

47,1

GASOLINA    

4382,4

6629,6

5213,3

3588,8

4403,4

3339,6

3990,3

4785,5

4895,0

GLP

0,7

1,1

1,7

2,2

3,3

3,4

3,7

5,5

4,4

NAFTA      

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,1

0,0

0,0

QUEROS. ILUM.

0,5

0,6

0,6

0,4

0,3

0,2

0,1

0,1

0,0

QUEROS. AVIACAO

2,7

5,4

7,1

7,7

8,2

8,8

10,3

13,4

11,0

GAS DE REFIN.

0,3

1,5

2,0

2,4

2,8

3,7

3,4

4,9

6,5

COQUE  PETROLEO

0,0

0,0

0,0

1,2

1,2

1,7

1,9

4,6

6,2

OUT.EN. PETROLEO

0,0

0,0

0,1

0,0

0,0

0,0

0,0

0,1

0,1

GAS CIDADE

0,1

0,2

0,3

0,4

0,3

0,1

0,1

0,1

0,0

COQUE CARV.MIN

10,7

14,5

29,0

44,8

46,5

61,0

61,7

59,0

57,8

GAS DE COQUERIA

0,8

1,2

2,2

3,7

4,0

4,4

4,5

4,2

4,4

OUT.SEC.  ALCATRAO

0,1

0,1

0,2

0,2

0,4

0,7

0,6

0,3

0,1

NÃO RENOVÁVEIS

4629

7096

5893

4341

5279

4321

5030

6032

6306

LENHA    

9962,9

9531,1

8197,7

6740,0

5347,3

4581,4

4240,2

4343,1

5431,5

BAGACO DE CANA

239,7

284,4

518,0

890,3

857,3

1105,1

1094,4

1040,0

1671,0

LIXIVIA

0,6

1,2

3,3

4,2

5,0

6,5

6,2

8,5

12,5

OUTRAS RECUPER.

0,2

0,1

0,7

18,5

21,9

19,1

19,6

22,9

36,7

CARVAO  VEGETAL

336,2

662,1

851,1

1183,4

1145,6

991,2

908,8

888,7

1149,7

ALCOOL ETILICO

22,6

19,9

327,1

974,5

1347,2

1337,5

1383,0

1171,8

1401,9

RENOVÁVEIS

10562

10499

9898

9811

8724

8041

7652

7475

9703

TOTAL

15191

17595

15791

14152

14004

12362

12682

13508

16009

 Tabela 4.5 Emissões de NMVOCs por Combustível - Anos 1970 a 2005 em Gg/ano

 

1970

1975

1980

1985

1990

1994

1995

2000

2005

GAS NATU RAL

0,0

0,1

0,1

0,3

0,5

0,6

0,6

1,4

3,3

CARVÃO MINERAL

0,2

0,2

0,6

1,5

1,1

1,0

0,8

0,8

0,7

OUTRAS NAO REN.

0,0

0,0

0,1

0,2

0,3

0,2

0,2

0,5

0,7

OLEO DIESEL

39,0

71,4

109,7

115,8

145,6

162,9

173,5

208,5

230,9

OLEO COMBUST.

4,9

13,3

12,0

16,1

8,7

9,3

9,2

7,9

8,3

GASOLINA    

772,3

1172,1

920,7

633,2

778,9

596,3

713,8

856,0

877,4

GLP

0,3

0,4

0,7

0,9

1,2

1,3

1,4

1,7

1,5

NAFTA      

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

QUEROS. ILUM.

0,1

0,1

0,1

0,1

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

QUEROS. AVIACAO

1,4

2,7

3,6

3,9

4,1

4,4

5,1

6,7

5,5

GAS DE REFIN.

0,0

0,2

0,2

0,3

0,3

0,4

0,4

0,6

0,8

COQUE  PETROLEO

0,0

0,0

0,0

0,1

0,1

0,1

0,1

0,3

0,4

OUT.EN. PETROLEO

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,1

0,1

GAS CIDADE

0,0

0,0

0,0

0,1

0,1

0,0

0,0

0,0

0,0

COQUE CARV.MIN

0,8

1,1

2,2

3,4

3,5

4,6

4,7

4,5

4,4

GAS DE COQUERIA

0,1

0,1

0,1

0,3

0,3

0,3

0,3

0,3

0,3

OUT.SEC.  ALCATRAO

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

NÃO RENOVÁVEIS

819

1262

1050

776

945

782

910

1089

1134

LENHA    

725,5

773,9

726,4

707,4

617,6

528,1

489,1

473,4

607,9

BAGACO DE CANA

7,0

8,3

15,1

26,0

25,0

32,3

31,9

30,3

48,7

LIXIVIA

0,0

0,1

0,2

0,2

0,3

0,4

0,4

0,5

0,8

OUTRAS RECUPER.

0,0

0,0

0,0

0,3

0,4

0,3

0,4

0,4

0,7

CARVAO VEGETAL

6,8

14,3

18,3

26,6

26,4

22,9

21,1

20,7

26,8

ALCOOL ETILICO

4,5

3,9

64,8

192,9

266,7

277,1

286,6

242,8

290,5

RENOVÁVEIS

744

800

825

953

936

861

829

768

975

TOTAL

1563

323

329

359

331

293

274

268

350

 


[1] Branca Americano – Comunicação Interna.

[2] Na maioria dos energéticos não existe tal uso registrado no BEN mas quando eventualmente presentes o valor seria detectado e estudado o fator conveniente a ser aplicado.

 

Graphic Edition/Edição Gráfica:
MAK
Editoração Eletrônic
a

Revised/Revisado:
Monday, 17 August 2009
.

Contador de visitas