Economia & Energia
No 29-Novembro-Dezembro 2001   
ISSN 1518-2932

setae.gif (977 bytes) No 29  English Version  

Apoio: MCT

BUSCA

CORREIO

DADOS ECONÔMICOS

DOWNLOAD

e&e ANTERIORES

e&e No 29

Página Principal

Matriz Energética e de Emissões
Apresentação
Relatório Executivo

Projeto MCT
Setor Serviços
Análise Crítica de Resultados


Dívida  Pública e Reservas do Brasil

Especial Crise Argentina
Argentina tem Peso
Plano de Convertibilidade 2

http://ecen.com

Vínculos e&e

Matriz Energética e de Emissões
http://ecen.com/matriz

Argentina tem Peso

Carlos Feu Alvim
feu@ecen.com 

A Argentina detém 12% do território da América do Sul sendo o 8° país do mundo em superfície com grandes áreas cultivadas ou cultiváveis. Os países de fala espanhola representam a metade do território e metade do PIB da América do Sul e a Argentina, sendo o maior deles, é o natural co-líder da região. A Argentina tem com seus vizinhos da América do Sul cerca de 40% do comércio e mais de 20% com a Europa .

Sua ligação cultural fundamental é com seus vizinhos, com a península ibérica e, por extensão, com a Europa. Sua maior ligação comercial também. A Argentina tem uma respeitada bagagem no mundo científico, cultural e político que os 5 prêmios Nobel são apenas um exemplo.

A Argentina tem hoje um referencial monetário estável depois de dez anos de pratica da convertibilidade. Enquanto o vizinho Brasil teve que criar, durante algum tempo, uma unidade de referência de valor (URV) para que as mentes fixassem em uma referência local os argentinos já tem seus preços associados a uma referência fixa.

A Argentina é auto-suficiente em alimentos e energia e a base industrial e tecnológica que restou e a que se modernizou é ainda suficiente para lhe assegurar os equipamentos básicos. Argentina detém a maior parte da terra temperada em um continente, de resto, tropical ou andino. Nunca faltara o que trocar com seus vizinhos seja em mercadorias, seja em turismo ou qualquer outro bem econômico favorecido por suas condições geográficas, tecnológicas e culturais. Também não faltara o que trocar com o mundo.

A Argentina não é uma ilha que teria dificuldades de resistir a um eventual boicote econômico que, além disso, não interessa praticamente a ninguém fora do País, haja visto o distúrbio no continente, e até no mundo, que provoca sua atual crise.

A Argentina não tem o que temer da fuga de capitais. A primeira razão é porque, em grande parte, ela já ocorreu. A segunda razão é que à Argentina interessa o capital, nacional ou estrangeiro, que está ou chegou para ficar no longo e médio prazo. O expurgo do capital especulativo, de qualquer origem, só lhe faria bem. A Argentina tem, por outro lado, capital nacional produtivo fora que voltaria a investir no pais quando produzir nele se tornar melhor que especular.

A Argentina, finalmente, tem recursos para pagar toda sua dívida externa (mesmo a ilegítima) em prazos e juros razoáveis.

A Argentina não pode ter eternamente uma sub-moeda porque não e um sub-país.

A Argentina tem o peso.

Carlos Feu Alvim

Graphic Edition/Edição Gráfica:
MAK
Editoração Eletrônic
a

Revised/Revisado:
Tuesday, 17 May 2011
.

Contador de visitas