Economia & Energia
No 29- Novembro - Dezembro  2001  ISSN 1518-2932

e&e No 29setae.gif (977 bytes) English Version  

Apoio: MCT

BUSCA

CORREIO

DADOS ECONÔMICOS

DOWNLOAD

e&e ANTERIORES

e&e No 29

Página Principal

Matriz Energética e de Emissões
Apresentação
Relatório Executivo

Projeto MCT
Setor Serviços
Análise Crítica de Resultados


Dívida  Pública e Reservas do Brasil

Especial Crise Argentina
Argentina tem Peso
Plano de Convertibilidade 2

http://ecen.com

Vínculos e&e

Matriz Energética e de Emissões
http://ecen.com/matriz

z

Matriz Energética e de Emissões:

7. Comercial, Público e Outros Serviços que não Transporte

Nota sobre a Redação: 
Trata-se de resultado referente à projeção do consumo de energia na indústria e das emissões correspondentes. A numeração das figuras e tabelas corresponde ao relatório entregue ao MCT que estará integralmente disponível para os leitores da e&e. 
TEXTO EM  WORD PARA DOWNLOAD
(TODOS OS SETORES)

Coordenador : Carlos Feu Alvim feu@ecen.com
Equipe Técnica:Carlos Feu Alvim, Aumara Feu (*), Eduardo Marques, Frida Eidelman, Omar Campos Ferreira, Othon Luiz Pinheiro da Silva

O Setor Serviços vem crescendo de importância na participação no PIB e chega a corresponder a mais de 2/3 do PIB em alguns países. Do ponto de vista de consumo de energia, sua importância é relativamente pequena, com exceção do transporte que tem um tratamento especial em nossa metodologia. Grosso modo, o transporte representa cerca de 5% do Produto e 30% da energia. Do ponto de vista da apuração do produto, muitos países não consideram o produto dos transportes em separado

a) Participação do Setor Comercial e Público no PIB

Como observamos anteriormente, a participação do Setor Serviços no PIB cresceu nas últimas décadas e ainda existe, na comparação com outros países, algum espaço para o crescimento no Setor Serviços e nas atividades não diretamente relacionadas ao transporte que são objeto deste item. Na Figura 46 podemos observar a participação histórica e projetada para as atividades Comercial e Público  onde estão englobadas, na ótica do Balanço Energético, todas as outras atividades relacionadas ao Setor serviços que não se refiram a transportes.

 
Figura 46: Participação de Outros Serviços que não transportes no PIB (Comercial e Público no BEN/MME) histórico e projetado em valores correntes e constantes.

O valor de participação, projetado a preços constantes, é de 56,5% (52,1% a preços correntes) para o “Comercial e Público”.

b) Razão Energia Equivalente / Produto Setor

O valor do produto das atividades “Comércio e Público” foi obtido a partir dos valores do Setor Serviços descontados, quando disponível, a participação da atividade de transportes ou, na falta, a média de 4.8% correspondente à média do OCDE. A dispersão observada entre os paises para o valor da razão energia produto é bastante superior ao erro cometido na avaliação do produto. Os valores consideram o produto expresso ao nível de preços de paridade do poder de compra em cada país.

 
Figura 47: Energia Equivalente / Produto atribuído às atividades Comércio e Público (Serviços exclusive transportes) para países da OCDE e Brasil. Valores relativos à média da OCDE em 1995

A média OCDE é, entretanto, superior ao valor observado para o Brasil. O comportamento histórico para o Brasil é mostrado na Figura 48. Também na Figura 48 mostramos a evolução da razão energia equivalente/produto extrapolada até 2020. O consumo por produto alcançaria o nível da OCDE em 1995 no último ano.

Figura 48: Energia/Produto para as Atividades Comercial e Pública, valores históricos e extrapolação, considerando nível de consumo próximo ao dos países da OCDE em 1995 e para o Brasil em 2020.

c) Projeção da Energia Equivalente para as atividades “Comercial e Pública”

 Baseando-se no PIB projetado e na participação nessas atividades, podemos projetar o produto agregado nelas. Da projeção da razão energia equivalente/produto, pode-se projetar o valor da demanda de energia equivalente usando-se o valor do produto. Os valores históricos e extrapolados para o produto agregado nas atividades “Comercial e Pública” são mostrados na Figura 49. Os valores foram mostrados na Tabela 6 para os principais setores. Segundo a projeção de aumento do valor energia/produto, o crescimento em energia deverá superar o do produto, como podemos perceber na Figura 49.

 
Figura 49: Energia Equivalente e Produto histórico e projetado para as atividades “Comercial e Pública”

 d) Participação dos Energéticos nas atividades Comercial e Pública, em Energia Equivalente


Figura 50: Distribuição da Energia nas atividades Comercial e Pública nos diversos países para o ano 1995.

Na Figura 50 podemos observar que a energia elétrica predomina nessas atividades em países medianamente desenvolvidos e mais adiantados. No Brasil, ela é bastante superior à média dos países mostrados ou dos países da OCDE, onde é ligeiramente superior a 70%.

Na Figura 51 mostramos a evolução da participação das diferentes formas (agrupadas) de energia nas atividades em questão. Podemos observar que a partir das crises de petróleo de 1973 e 1979, a energia elétrica, que já era predominante, passou a representar quase a totalidade do consumo no Setor.

 

Figura 51: Participação de formas de energia (agrupadas) em energia equivalente histórica e projetada.

 A Figura 52 mostra em maior detalhe a participação de outros tipos de energia (que não  elétrica) nas atividades comercial e outros.

 

Figura 52: Participação dos energéticos nas atividades comercial e pública. A queda na participação de outros energéticos que não a energia elétrica se deu a partir do primeiro choque de petróleo de 1973 até o “choque frio” nos preços de petróleo de 1986. Supõe-se na projeção um aumento da participação do gás natural.

 Pode-se observar que a participação dos outros energéticos nunca esteve nos níveis observados para a maioria dos países desde 1970. Deve-se lembrar que países temperados usam outros energéticos no aquecimento de ambientes comerciais e públicos. Isto pode limitar a penetração de outros energéticos no setor. Deve-se lembrar que o gás natural, desde que disponível, tende a deslocar outras fontes e até mesmo a eletricidade. A participação do gás natural, até 1999, era mínima e deve crescer nos próximos anos. Esta é a hipótese que adotamos e é mostrada na Figura 52.

e) Participação dos Energéticos em Energia Final     

A participação em energia final pode ser obtida a partir de coeficientes de transformação adequados para o setor. Na Figura 53 e na Tabela 26 estão indicados os valores projetados para a energia final nas atividades comercial e pública.

 

Figura 53: Consumo de Energia Final nas atividades comercial e pública, indicando-se os valores históricos e projetados

 Tabela 26: Valores Projetados da Energia Final para o Setores Comercial e Público  (10^6 tEP)

 

2000

2005

2010

2015

2020

GÁS NATURAL

78

282

671

1133

1837

LENHA

85

104

94

87

111

 TOTAL PRIMÁRIO

163

386

765

1220

1948

 ÓLEO DIESEL  

312

229

260

369

582

ÓLEO COMBUST.  

566

679

830

1006

1239

GLP

481

588

771

1086

1593

  NAFTA  

26

53

60

53

46

GÁS

21195

27223

33749

39308

46360

 ELETRICIDADE

61

77

74

72

92

  CARV. VEGETAL

0

4

5

4

0

 O.SEC. PETR.

22642

28852

35749

41897

49911

ALCATRÃO

85

104

94

87

111

TOTAL SECUNDÁRIA

22805

29238

36514

43117

51859

Total Biomassa

78

282

671

1133

1837

TOTAL

85

104

94

87

111

 

f) Emissões Correspondentes ao Consumo em Energia Final

A partir do consumo em energia final e de coeficientes de emissão para o Setor, pode-se deduzir as emissões finais. Nessa avaliação foram usados os valores fornecidos pela equipe que está elaborando o Inventário  Nacional de Emissões (valores fornecidos por Branca Americano à equipe da e&e). Os fatores usados na extrapolação, mostrados na Tabela 27, correspondem aos fornecidos para o ano de 1999.

Cabe observar que somente estão mostrados os coeficientes de emissão para energéticos que foram projetados para uso no Setor no período 2000 a 2020.

Tabela 27: Coeficientes de Emissões no Setor Comercial e Outros CO2 Gg/10^3tEP demais t/10^3tEP

 

CO2

CO

CH4

NOX

N2O

NMVOCS

GÁS NATURAL

2.272

1.880

0.047

23.522

0.049

0.203

LENHA

4.097

16.748

10.341

4.718

0.175

25.774

PROD. CANA

0.000

0.000

0.000

0.000

0.000

0.000

OUTRAS PRIMAR

0.000

0.000

0.000

0.000

0.000

0.000

 ÓLEO DIESEL  

3.150

0.914

0.180

5.265

0.022

0.215

ÓLEO COMBUST.  

3.290

0.793

0.059

8.131

0.014

0.215

GLP

2.682

0.431

0.050

2.037

0.004

0.215

GÁS

2.272

0.726

0.201

1.751

0.006

0.203

 ELETRICIDADE

0.000

0.000

0.000

0.000

0.000

0.000

  CARV. VEGETAL

4.458

300.696

8.591

4.296

0.043

4.296

 Fonte: MCT: Comunicação de Branca Americano à e&e

A aplicação desses coeficientes aos dados de energia final  fornece os valores de emissão indicados nos gráficos para cada gás, considerado como contribuindo para a formação do efeito estufa.. Os resultados para CO2, CO, CH4, NOX, N2O e NMVOCs são mostrados nas Figuras 54 a 59 e nas Tabelas 28 a 33.

 

Figura 54: Emissões históricas e projetadas nas atividades comercial e outros serviços, provenientes do uso  de energia final por energético. No caso das emissões de CO2 (e CO), os correspondentes ao uso da biomassa renovável não alteram o inventário no longo prazo e não contribuem para o efeito estufa. Esses valores são indicados de forma “vazada” na figura.

  Tabela 28: Emissões de  CO2 em Gg/ano

 

2000

2005

2010

2015

2020

 

GÁS NATURAL

178.1

640.1

1524.1

2573.0

4173.1

 

LENHA

346.4

426.4

384.3

358.2

452.9

*

 TOTAL PRIMÁRIO

524.5

1066.4

1908.4

2931.2

4626.0

 

 ÓLEO DIESEL  

983.7

721.2

820.1

1163.5

1833.7

 

ÓLEO COMBUST.  

1863.3

2232.5

2730.0

3309.2

4075.4

 

GLP

1291.2

1576.3

2068.9

2912.2

4271.3

 

GÁS

58.4

120.3

135.9

121.1

104.4

 

 ELETRICIDADE

0.0

0.0

0.0

0.0

0.0

 

  CARV. VEGETAL

271.5

344.1

331.7

320.4

409.7

*

 O.SEC. PETR.

0.6

11.9

15.1

11.5

0.0

 

TOTAL SECUNDÁRIA

4468.7

5006.2

6101.7

7837.9

10694.5

 

Total Sem Biomassa

4646.8

5646.3

7625.8

10410.9

14867.6

 

TOTAL

4993.2

6072.7

8010.0

10769.1

15320.5

 

(*) Emissões não contabilizáveis por provirem de biomassa renovável

 

Figura 55: Emissões históricas e projetadas nas atividades comercial e outros serviços (não transporte) proveniente do uso  final de energia por energético nessas atividades. A exemplo das emissões de CO2, as emissões de CO devidas a biomassa não são contabilizadas para efeito estufa.

 Tabela 29: Emissões de CO em Gg/ano

 

2000

2005

2010

2015

2020

 

GÁS NATURAL

0.00

0.01

0.03

0.05

0.09

 

LENHA

0.87

1.08

0.97

0.90

1.14

*

 TOTAL PRIMAR

0.88

1.09

1.00

0.96

1.23

 

 ÓLEO DIESEL  

0.06

0.04

0.05

0.07

0.10

 

ÓLEO COMBUST.  

0.03

0.04

0.05

0.06

0.07

 

GLP

0.02

0.03

0.04

0.05

0.08

 

GÁS

0.01

0.01

0.01

0.01

0.01

 

 ELETRICIDADE

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

 

  CARV. VEGETAL

0.52

0.66

0.64

0.62

0.79

*

 O.SEC. PETR.

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

 

TOTAL SECUNDÁRIA

0.64

0.78

0.79

0.81

1.06

 

Total Sem Biomassa

0.65

0.80

0.82

0.86

1.14

 

TOTAL

1.52

1.87

1.79

1.77

2.29

 

(*) Emissões não contabilizáveis por provirem de biomassa renovável

 

 

Figura 55: Emissões históricas e projetadas nas atividades comercial e outros serviços (não transporte) provenientes do uso  final de energia por energético nessas atividades.

 Tabela 30: Emissões de CH4 em Gg/ano

 

2000

2005

2010

2015

2020

GÁS NATURAL

0.00

0.01

0.03

0.05

0.09

LENHA

0.87

1.08

0.97

0.90

1.14

 TOTAL PRIMÁRIO

0.88

1.09

1.00

0.96

1.23

 ÓLEO DIESEL  

0.06

0.04

0.05

0.07

0.10

ÓLEO COMBUST.  

0.03

0.04

0.05

0.06

0.07

GLP

0.02

0.03

0.04

0.05

0.08

GÁS

0.01

0.01

0.01

0.01

0.01

 ELETRICIDADE

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

  CARV. VEGETAL

0.52

0.66

0.64

0.62

0.79

 O.SEC. PETR.

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

TOTAL SECUNDÁRIA

0.64

0.78

0.79

0.81

1.06

Total Sem Biomassa

0.65

0.80

0.82

0.86

1.14

TOTAL

1.52

1.87

1.79

1.77

2.29

 

Figura 56: Emissões históricas e projetadas nas atividades comercial e outros serviços (não transporte) provenientes do uso  final de energia por energético nessas atividades.

 

Tabela 31: Emissões de NOx em Gg/ano

 

2000

2005

2010

2015

2020

GÁS NATURAL

1.84

6.63

15.78

26.64

43.21

LENHA

0.40

0.49

0.44

0.41

0.52

 TOTAL PRIMÁRIO

2.24

7.12

16.22

27.06

43.73

 ÓLEO DIESEL  

1.64

1.21

1.37

1.94

3.07

ÓLEO COMBUST.  

4.60

5.52

6.75

8.18

10.07

GLP

0.98

1.20

1.57

2.21

3.24

GÁS

0.05

0.09

0.10

0.09

0.08

 ELETRICIDADE

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

  CARV. VEGETAL

0.26

0.33

0.32

0.31

0.39

 O.SEC. PETR.

0.00

0.03

0.04

0.03

0.00

TOTAL SECUNDÁRIA

7.54

8.37

10.15

12.76

16.86

TOTAL

9.78

15.49

26.37

39.82

60.59

 

Figura 57: Emissões históricas e projetadas nas atividades comercial e outros serviços (não transporte) provenientes do uso  final de energia por energético nessas atividades.

 Tabela 32: Emissões de N2O em Gg/ano

 

2000

2005

2010

2015

2020

GÁS NATURAL

0.0038

0.0138

0.0328

0.0553

0.0897

LENHA

0.0148

0.0182

0.0164

0.0153

0.0193

 TOTAL PRIMÁRIO

0.0186

0.0319

0.0491

0.0706

0.1090

 ÓLEO DIESEL  

0.0068

0.0050

0.0057

0.0081

0.0127

ÓLEO COMBUST.  

0.0077

0.0092

0.0113

0.0137

0.0168

GLP

0.0021

0.0025

0.0033

0.0047

0.0068

GÁS

0.0001

0.0003

0.0003

0.0003

0.0003

 ELETRICIDADE

0.0000

0.0000

0.0000

0.0000

0.0000

  CARV. VEGETAL

0.0026

0.0033

0.0032

0.0031

0.0039

 O.SEC. PETR.

0.0000

0.0000

0.0001

0.0000

0.0000

TOTAL SECUNDÁRIA

0.0194

0.0204

0.0239

0.0298

0.0406

TOTAL

0.0379

0.0523

0.0730

0.1004

0.1496

 

Figura 55: Emissões históricas e projetadas nas atividades comercial e outros serviços (não transporte) provenientes do uso  final de energia por energético nessas atividades.

 Tabela 33: Emissões de NMOVCs em Gg/ano

 

2000

2005

2010

2015

2020

GÁS NATURAL

0.02

0.06

0.14

0.23

0.37

LENHA

2.18

2.68

2.42

2.25

2.85

 TOTAL PRIMÁRIO

2.20

2.74

2.55

2.48

3.22

 ÓLEO DIESEL  

0.07

0.05

0.06

0.08

0.13

ÓLEO COMBUST.  

0.12

0.15

0.18

0.22

0.27

GLP

0.10

0.13

0.17

0.23

0.34

GÁS

0.01

0.01

0.01

0.01

0.01

 ELETRICIDADE

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

  CARV. VEGETAL

0.26

0.33

0.32

0.31

0.39

 O.SEC. PETR.

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

TOTAL SECUNDÁRIA

0.56

0.66

0.73

0.85

1.14

Total Sem Biomassa

0.57

0.72

0.87

1.08

1.51

TOTAL

2.75

3.40

3.29

3.33

4.36

(*) A parte da análise econômica neste trabalho faz parte de trabalho de tese de doutorado Aumara Feu em elaboração para a UNB.

Graphic Edition/Edição Gráfica:
MAK
Editoração Eletrônic
a

Revised/Revisado:
Tuesday, 17 May 2011
.

Contador de visitas